Só quero o que for meu: o caco, o nicho,/lá onde fura a noite a estrela-bicho. ("Culpe o vento".)

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Texto de Luiz Bragança de Pina sobre "Lume Cardume Chama":

VOLTO AO PASSADO COM UM LIVRO DE POEMAS

2 comentários:

  1. Sou grato por sua atenção, Wladimir Saldanha. Uma honra para mim. Deus guarde os seus dias.

    ResponderExcluir
  2. Eu que sempre agradeço por esse belo texto! Deus fique com você, meu caro.

    ResponderExcluir