Só quero o que for meu: o caco, o nicho,/lá onde fura a noite a estrela-bicho. ("Culpe o vento".)

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

ESSOUTRA PAVANA

De todas as militâncias
o poeta cata as ânsias;
de tantas infantarias
o poeta cata infantas

mortas, mas sem as pavanas;
quem sabe se com as ânsias
tais infantas não ergueria?
E uma monstruosa infância,

certo Frankestein criança,
de todas as militâncias,
de tantas infantarias,

o poeta vai, alcança,
mas essa feia criança
ainda morre, anta – e se ria.



Nenhum comentário:

Postar um comentário